Programas Obrigatórios:

Primeiros Socorros

Primeiros socorros é a definição de todo procedimento correto de suporte básico da vida.

Qualquer um de nós está sujeito a se deparar com alguma situação que exija algumas noções de conhecimentos sobre primeiros-socorros; tanto no lar, como no trabalho, na rua, no cinema, etc. Nesse momento, é importante manter a calma, transmitindo-a tanto à vítima, no caso de consciência da mesma, quanto a todos no local do fato.

Após o acionamento do RESGATE pelo telefone 193, há alguns cuidados a serem tomados que colaboram com a integridade física e moral do paciente, e na maioria das vezes faz valer a diferença entre a vida e a morte, enquanto a equipe socorrista não chega.

Nos casos clínicos:

1. Procurar manter a vítima deitada;

2. Verificar se há inconsciência (pergunte se ela está bem, balançando-lhe sutilmente o ombro por algumas vezes);

3. Verificar se há alguma obstrução em suas vias respiratórias. Ex: dentadura; caso houver, retire-a;

4. Verificar se há respiração (coloque seu ouvido próximo ao nariz e boca da vítima para ouvir e sentir, ao mesmo tempo em que olha para o peito com o objetivo de ver os movimentos toráxicos). Caso constatar que a vítima não respira, tracione a cabeça da mesma para trás, levantando-lhe o queixo, para liberação das vias aéreas; em seguida, tape-lhe o nariz e faça duas insuflações pela boca;

5. Verificar se há circulação sanguínea (tome o pulso da vítima, e procure através do tato sentir o batimento cardíaco da mesma). Caso constatar que não há, inicie as compressões torácicas externas (massagens no centro do peito), sendo que para cada 15 massagens, alternar-se-ão 02 insuflações. Permaneça realizando a reanimação até a chegada do RESGATE ou até perceber que a vítima estabilizou-se.

6. Afrouxar suas vestes;

7. Mantê-la aquecida.

Nos casos de trauma:

1. Manter a vítima na posição em que foi encontrada após o acidente, com o intuito de evitar maiores lesões;

2. Repetir os procedimentos dos itens 2, 3, 4 e 5 do tópico anterior;

3. Verificar se há grandes hemorragias, e, se este for o caso, procurar estanca-las mediante tamponamento. Ex: manter uma toalha pressionada sobre o sangramento.

Nos casos de distúrbios emocionais:

1. procurar conversar com o paciente, de maneira informal, com tom de voz ameno e objetivo;

2. guardar certa distância do mesmo, tentando não deixar transparecer um cuidado excessivo com ele;

3. evitar movimentos bruscos;

4. nunca desafiá-lo.